África: República Democrática do Congo (RDCongo) liberta “soldados ruandeses” e Ruanda liberta “cidadão congolês”

0
105
O Anúncio foi feito, esta quarta-feira (08.06), pela Presidência de Angola, que atribuiu as libertações nos dois países à mediação do Presidente João Lourenço.

A República Democrática do Congo libertou, esta quarta-feira (08.06), os dois soldados ruandeses capturados por Kinshasa e o Ruanda libertou um cidadão congolês detido, anunciou a Presidência de Angola, atribuindo as libertações à mediação do Presidente João Lourenço.

“Na sequência das diligências diplomáticas encetadas pelo Presidente da República, João Lourenço, com vista à redução da tensão entre a República Democrática do Congo [RDCongo] e a República do Ruanda, foram hoje libertados os dois soldados ruandeses recentemente capturados e que se encontravam em posse das autoridades congolesas”, pode ler-se num comunicado da Presidência angolana.

O chefe de Estado angolano recebeu no dia 31 de maio em Luanda o seu homólogo da República Democrática do Congo (RDCongo), Félix Tshisekedi, com quem debateu a “crescente tensão” entre este país e o vizinho Ruanda.

No encontro, organizado no âmbito “do mandato recebido na recente Cimeira de Malabo”, Tshisekedi, a pedido do seu homólogo angolano, aceitou libertar dois soldados ruandeses capturados recentemente, disse então a presidência angolana.

O gabinete de João Lourenço esclarece agora que os dois elementos do exército ruandês “escalaram hoje Luanda, chegados de Kinshasa, e seguiram pouco tempo depois para o seu país, em liberdade”.

A nota acrescenta ainda que João Lourenço obteve do Presidente ruandês, Paul Kagame, a libertação do cidadão congolês democrático Patrick Bala, que se encontrava detido pelas autoridades ruandesas e por quem intercedeu o Presidente Tchisekedi.

Cimeira entre Ruanda e República Democrática do Congo (RDCongo) em Luanda

Na reunião de 31 de maio, Lourenço e Tshisekedi chegaram a entendimento sobre a realização em Luanda, em data a anunciar, de uma cimeira em que participarão, a convite do chefe de Estado angolano, os chefes de Estado da República Democrática do Congo e da República do Ruanda para promover “um desanuviamento da tensão atualmente reinante na fronteira entre os dois países”, anunciou então Luanda.

A tensão entre o Ruanda e a RDCongo cresceu exponencialmente nos últimos meses, após o reinício em março último dos combates entre o exército e o movimento rebelde de 23 de Março (M23), que, segundo Kinshasa, é apoiado pelo país vizinho, uma acusação negada por Kigali.

 

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments