Angola: A verdade mais triste não contada para juventude de hoje

0
215

O mundo se tornou nosso próprio inimigo e nós voltamos contra ele. Não apreciamos mais o que vem com isso, mas em vez disso, comemoramos quando ele está desmoronando, mas clamamos por ajuda sem perceber como nossas ações trazem nossas consequências.

Éramos um, mas agora todos estão lutando suas próprias batalhas sendo envergonhados e principalmente matando uns aos outros com nossas línguas. Não respeitamos mais nossos líderes ou os mais velhos – é como se todos tivéssemos a mesma idade. A cor se tornou nosso hino para ferir a nação e o racismo está crescendo e parece que não nos importamos nem um pouco.

Exercemos nossos direitos sem considerar nossos pensamentos, precipitando-nos em coisas que nem mesmo nos beneficiam. Nós nos tornamos nossos próprios assassinos e destruidores de tudo com que sempre sonhamos.

O que mais queremos? Do que mais precisamos? Por quanto tempo seremos tão ignorantes? Estamos mesmo em condições de tomar alguma decisão?

Estamos suficientemente despertos para defender o que temos? Estamos despertos o suficiente para aprender mais uma ou duas coisas de nós mesmos? Somos nós quem realmente dizemos que somos ou talvez fomos; somos uma daquelas nações que sempre querem ser condenados por um determinado período de tempo apenas para colocar em nossas cabeças que nossas ações são aquelas que matam e afundam os nossos sonhos? O que aconteceu com a nação que permaneceu unida? Aquela que se apoiava em nossas diferenças? O que aconteceu com a nação que prometeu ser afectuosa por todos em tudo? Aquele que aprendeu a ouvir os mais velhos e corrigi-los de maneira educada?

Aquele com quem a geração futura está ansiosa para aprender? Um que será uma cópia do outro; aquele que não passa vergonha para a geração que está por vir, que sabe como se comunicar e transmitir a mensagem com clareza, sem causar nenhum dano? Parece que perdemos essa última espécie e mesmo se tentarmos replantá-la não a trará de volta à vida, não viveria nem por um dia, porque o mundo está cheio de almas sem coração que estão atrás de poder, dinheiro, fama, riqueza, você nomeia todos eles. Isso só importa para eles agora. Ninguém é inimigo de ninguém simplesmente porque somos nossos próprios inimigos e isso está nos impedindo e bloqueando nossos caminhos para que possamos estar em harmonia novamente.

A tendência de não ouvirmos uns aos outros – isso não aumenta nosso crescimento de tudo o que todos queremos construir. A tendência de eu posso fazer isso também, sou melhor do que os outros, é aquela que acaba com as oportunidades que se abrem para nós, mas só se deve querer o que é bom para eles, em vez de trabalhar em colaboração com outros que poderiam ensinar aos outros o que eles nunca conheciam e protegiam sempre que necessário.

 Temba Museta

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here