Angola: Bureau Político do MPLA quer ver os revús processados Judicialmente

0
244
Depois das reacções de muitos cidadãos e guardiões de um tempo (que não existe) que, no conforto de suas casas, repudiaram os fictícios actos de vandalismo e profanação, numa manifestação do que eu chamo de moralismo de escravo, agora é a vez do PD (partido delinquente, mais conhecido por MPLA) xinguilar como virgem ofendida. Mais do que isto, o PD solicita à PGR e ao SIC para que procedam à abertura de processos criminais contra toda a revuada que alcançou e base da estátua de António Agostinho Neto.
 
Eis o texto completo:
 
*NOTA DE REPÚDIO*
 
O Bureau Político do MPLA condena categoricamente os actos de vandalismo e ultraje praticados ontem, dia 10 de Dezembro, no Largo da Independência, em Luanda, por alguns jovens à estátua do Fundador da Nação e Primeiro Presidente da República de Angola, Dr. António Agostinho Neto, de quem a dimensão humanista e intelectual é reconhecida e respeitada nacional e internacionalmente.
 
Agostinho Neto é a referência maior do moderno nacionalismo angolano e do movimento de libertação nacional e marco incontornável da nossa caminhada rumo à construção de uma Angola independente, unida, desenvolvida, democrática e inclusiva, pelo que o MPLA manifesta total repúdio pelo vil comportamento infame adoptado contra a memória colectiva dos angolanos.
 
O alargamento expressivo dos espaços de liberdade de expressão de opinião e de manifestação política promovido pelo Executivo liderado pelo Camarada Presidente João Lourenço não pode servir para acobertar actos que desrespeitam os símbolos nacionais e põem em causa a estabilidade política e a reconciliação entre os angolanos.
 
O Bureau Político do Comité Central do MPLA alerta os organizadores e instigadores desse tipo de atitudes e comportamentos anti-sociais para as consequências dos seus actos nos marcos consagrados na Constituição e na lei.
O MPLA insta as autoridades a tomarem as devidas medidas no sentido da responsabilização criminal dos autores dos actos vexatórios à figura do Herói Nacional, exortando a juventude angolana a não se deixar instrumentalizar pelos inimigos da paz, da reconciliação e da unidade nacional.
 
Finalmente, o MPLA recomenda aos jovens que, mesmo no exercício do seu direito livre e soberano de manifestação, a pautarem-se por uma cidadania responsável assente no respeito à diferença e tolerância políticas, convidando as forças vivas da sociedade a juntos trabalharmos na edificação de uma Angola desenvolvida, democrática e inclusiva.
 
PAZ, TRABALHO E LIBERDADE
 
MPLA- MELHORAR O QUE ESTÁ BEM, CORRIGIR O QUE ESTÁ MAL
 
A LUTA CONTINUA!
 
A VITÓRIA É CERTA!
 
LUANDA, AOS 11 DE DEZEMBRO DE 2020.
 
O BUREAU POLÍTICO
 
 
Nuno Álvaro Dala
 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here