Angola: Carta aberta á Ex-deputado e vice-presidente da UNITA “Raúl Danda” – Sociedade Civil de Cabinda

0
200
Todos Choram Por Ti, Nkhazi Raúl Danda Estamos Orfão em Cabinda
 
A única certeza da vida é a morte. E é a certeza em que menos se acredita. Em toda a história da humanidade assentou-se sempre pela vida e pela morte. Perante esta realidade inevitável e iniludível da epitafia existência humana, encontramo-nos aqui reunidos, para rende-lo a merecida homenagem, pois a morte faz parte da vida terrena dos homens, só existe morte porque houve primeiro uma vida.
 
A Sociedade Civil de Cabinda juntam-se nesta hora derradeira, para prestar uma homenagem sentida à vida de um homem de invulgar estatura, o Doutor Raúl Manuel Danda. Um Mestre e um homem de Ciência e de Cultura de um saber abrangente, um exímio filósofo Binda sobretudo na valorização da relíquia etnográfica e antropológica da sua terra, um Homem de uma singular probidade de carácter, de uma lealdade exemplar, integridade admirável.
 
O profundo conhecimento que tinha sobre os problemas mais premente do seu povo, no qual se debateu incansavelmente em todas secções parlamentares e em vários colóquios nacionais e internacionais, elevaram bem alto o nome da nossa mãe pátria, Cabinda.
 
A perenidade do vulto dos problemas que mais afligem o povo de Cabinda, lá estiveste para defender o seu povo marterizado, foste um homem resiliente, imbatível e incomensurável, homem eloquente irreversível com a capacidade reflexiva e hermenêutica, persistente, amante da paz, percaminhamos juntos na promoção da Paz efectiva para sua terra natal, nosso Jerusalem “Cabinda” terra prometida, como sempre sonhaste “Livre Serás” passo a passo, na escalada íngreme dos caminhos da liberdade, defendeste os direitos e as garantias mais elementares dos cidadãos na promoção da justiça social e económica, missão que o levou a aceitar o lugar de Deputado a Assembleia Nacional. O seu entusiasmo, aliado à sua capacidade mobilizadora, fez com que desempenhasse com brio variadíssimos cargos de dirigente político e não só.
 
Mas, além destes tributos públicos à figura deste intelectual de excelência, o Senhor Doutor Raúl Manuel Danda sempre se distinguiu pela “uera nobilitas”, verdadeira nobre, vertical, foste uma pessoa de trato facíl, optimista, pujante na defesa dos ideias mais sublimes do seu povo. Nkhazi Raúl Danda pela sua obra científica e pedagógica, como Homem de Letras, deste boas lições à humanidade, mormente a grandeza dos seus feitos permanecerão para sempre, soubeste imprimir no presente e no futuro, o seu nome no mundo das letras e das artes, deixaste um património cívico e moral imperecível.
 
A morte de um amigo é sempre prematura. Leva-nos um pouco da nossa alegria mano Danda. Entre os marcos da sua genialidade, és uma marca para nós.
 
O momento é de uma solenidade ímpar. Estamos a escassos minutos para o derradeiro adeus a uma das mais conceituadas figuras de Cabinda, cuja dimensão humanista ultrapassa as fronteiras do nosso espaço geográfico provincial. É o homem que enquanto vivente deixou cravadas indelevelmente a sua marca nós anais da história deste país, sobretudo as marcas profundas da sua personalidade.
 
A República de Angola de perde um grande compatriota imbatível pela democratização de Angola, combatente da liberdade e dos povos oprimidos, no quadro da defesa dos direitos humanos e da cidadania, sempre quiseste ver o bem deste povo afastada de todas injustiças sociais, quiseste ver Angola a erradicar a fome, a pobreza, a má nutrição, a má qualidade de vida e de ensino, foste um grande defensor das posições jurídicas relevantes a valores sociológicas e antropológicas panafricanistas.
 
Aos Cabindas espalhados pelo mundo choram por ti mano Danda, a diáspora Cabindesa também está orfão. Os seus ensinamentos são irrenunciáveis – ou seja, ninguém poderá recusá-las, na medida em que são inerentes – também são inalienáveis e invioláveis, nem podem podem ser vendidos e trocados.
 
Nkhazi zitu, “Nkondu Kuta” ou seja nosso Embondeiro de 1º de Maio, sempre choraste por Cabinda…..para termos um aeroporto internacional, um porto de água profundas, uma refinária de petróleo, uma centralidade, caminho de ferro para Cabinda, sonhaste ver Cabinda nos palmares do desenvolvimento, infelizmente ainda estamos nessa caminhada.
 
Mano Danda, os seus amigos, pe. Raúl Tati, Advogado Arão Tempo, Pe. Congo, Dr. Marcos Mavungo, Eng.º Chicaia, Dr Afonso Bumba, pe. Alexandre Chuculate Pambo, Drªa Carlota Tati, Eng-º Maurício Gimbi, Drª Manuela Serrano, Osvaldo Buela, Massinga de Cabinda, Dr. André Sebastião, José Chanica Brás, Kuanga Nsito, Dr. Egídio Conde, Eng.º LeonTon Mabiala, Jovani Ventura, José Lanzi Neves, Marta Guimbi, Rosa Conde, Maria Deca, Dr. Nelson Liambo Tati, Eng.º Carlos Vemba, pastor Alberto Paka, Pastor Waco, Emmanuel Nzita, Alexandre Tati, Ya Veras, Claúdio Nzita, Pastor Pindi, Dr Belchor Lanzi Tati, Deputado Lourenço Lumingo, “twu tanga tu lembu” todos choram por ti, estamos orfão, foste uma figura que sempre reuniu e continuará a reunir concenso no seio dos Cabindas, ninguém será capaz de substituí-lo, quiseste ver Cabinda Pacificado com o seu braço solidário e sua visão congregadora.
 
Por isso, a Sociedade Cívil sente-se inconsolavelmente com a sua partida. É uma realidade cruel a que a nossa condição de seres humanos nos obriga a aceitar. São os planos de Deus sobre os quais não há apelação impossível ou inrenuciável.
 
Eterna saudade e paz à sua alma, Ilustre Dr. Raúl Danda
Até já, amigo
 
Nunca esqueceremos dos seus feitos.
 
Subescritores:
1-Egídio Conde
2-Nelson Liambo Tati
3-LeonTon Mabiala
4-Marta Guimbi
5-Júlio Pau
6-Jovany – Ventura
7-José Lanzi Neves

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here