Angola: Independentistas de Cabinda “pedem apoio a Joe Biden e referendo a Guterres”

1
263
A Frente de Libertação do Estado de Cabinda (FLEC-FAC) pediu hoje à nova administração norte-americana que apoie a sua luta pela autodeterminação do território, exortando as Nações Unidas (ONU) a promoverem um referendo.

“A direção político-militar da FLEC-FAC apela à nova administração norte-americana e ao presidente Joe Biden para que apoie um processo que leve à autodeterminação de Cabinda”, refere a organização num comunicado para assinalar os 136 anos do Tratado de Simulambuco.

Assinado a 01 de fevereiro de 1885 entre o Governo português e os autóctones cabindenses, o Tratado de Simulambuco selou a criação de um protetorado português, no qual Portugal se comprometeu a manter a integridade dos territórios.

No mesmo comunicado, o movimento exorta também o secretário-geral das Nações Unidas (ONU), António Guterres, a “organizar um referendo à autodeterminação livre e justa de Cabinda”.

“O direito à autodeterminação do povo Cabinda é um direito fundamental, Cabinda não é uma província de Angola, mas um protetorado português até hoje”, sublinha o comunicado assinado pelo secretário-geral da organização, Jacinto António Télica.

Os independentistas manifestam “esperança” de que administração do Presidente Joe Biden “ajude a região a resolver esta questão no quadro da legalidade internacional”.

Apelam, no mesmo sentido, à comunidade internacional “para que assuma as suas responsabilidades históricas para a autodeterminação do povo de Cabinda”.

“O governo português encontrará um papel à sua medida no apoio a este processo”, termina o comunicado.

Os apelos da FLEC-FAC surgem no mesmo dia em que a polícia angolana deteve seis ativistas e impediu uma manifestação em frente à embaixada portuguesa em Luanda para exigir a Portugal o cumprimento do acordo que permitia a independência do enclave.

Os independentistas de Cabinda defendem que o território era uma colónia independente de Portugal e deveria ter sido tratada enquanto tal no processo de independência de Angola.

Em contrapartida, o território, de onde é extraída a maior parte do petróleo de Angola, tornou-se numa província angolana.

1 COMMENT

  1. The hair is natural and supple, and the feel is the same as my own hair. It is very good and the quality of wearing bangs is also good. It doesn’t look too much, it will be perfect when it is combed, and it is also very real! It’s also very convenient to wear, it won’t fall very firmly, hahahahaha.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here