Angola: Luanda volta a registar chuva de protestos

0
400
Dois grandes protestos vão ser realizados no próximo sábado, 19, em todo país.

Além da manifestação convocada pelo líder do PRA-JA Servir Angola, Abel Chivukuvuku de forma generalizada em repudiou a decisão do Tribunal Constitucional que negou a legalização do seu projecto político, está igualmente agendada para o mesmo dia um ano de protesto dos médicos angolanos em solidariedade ao presidente do Sindicato dos Médicos Angolanos Adriano Manuel, suspenso por alegadamente denunciar existência de muitas mortes no hospital Infantil David Bernardino onde trabalha.

Recentemente duas grandes manifestações, 24 e 11, ficaram marcadas com espancamento aos activistas, detenções, julgamento e até mesmo morte de um estudante.

Especialista receiam que excesso de protestos em Angola, com um nível elevado de recessão económica vem a afugentar investigadores.

Abel Chivukuvuku, ex-líder da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE) e antigo membro da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), acusou esta quarta-feira (09.12) em conferência de imprensa o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), partido no poder há 45 anos, de inviabilizar o processo.

“Não aceitamos e não acatamos a notificação do tribunal”, disse Abel Chivukuvuku, para quem o Tribunal Constitucional agiu a mando da direção do MPLA ao travar a legalização do PRA-JA Servir Angola.

O Decreto

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here