Angola: “Militares do 3° curso de Formação de Oficiais de Educação Patriótica clama por Ajuda” – Militares Anônimos

0
315
FAA – 3° CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICIAIS DE EDUCAÇÃO PATRIÓTICA
 
Fracassada a tentativa de retirar os militares com idade superior a 35 anos, a Escola continua a receber militares para frequentarem o curso colocando insegurança aos alunos mesmo depois do acto de abertura e o início das aulas. Os generais ou seja donos das FAA, os únicos que combateram e tudo podem neste país continuam a fazer das suas visando deixar todos os seus próximos com ou sem competência na classe de oficial antes de irem a reforma.
 
É do conhecimento geral que muitos dos pretensos alunos que estão na instituição de ensino militar no Lubango, fizeram testes psicotécnicos que foram realizados na BAC, cordenado pelo Centro Psicotécnico da Força Aérea que não aceitou aprovar nenhum militar que não teve exigito na realização do teste.
 
Os donos das FAA decidiram por terem familiares burros ignoraram os resultados dos testes psicotécnicos colocando em questão a capacidade de avaliação do Centro e colocaram muitos militares que reprovados e outros não fizeram os testes na Academia de Benguela que nos últimos anos era um local de irrequecimento ilícito do então Comandante Keiros.
 
Dada a desordem da academia e a exclusão injusta de muitos candidatos retiraram o pessoal do Tola para a Escola de Sargentos do Lubango acrescentando assim os militares aptos pelo centro da FAN, os reprovados injustamente pelo TG Keiros, foi assim que houve a necessidade de aumentar o número e acrescentar os Militares do Ramos do Exército, Marinha, Força Aérea, Casa de Segurança Militar, o curso passou a ser do Estado Maior General.
 
Postos na Escola do Lubango depois de quatro meses fomos surpreendidos prendidos com o nome de Candidatos invés de Alunos porque segundo eles todos devem fazer testes médicos que deveria ser realizado muito antes dos militares estarem na escola. Antes da abertura do curso os fomos obrigados a fizer testes médicos (HIV, Tuberculose e Hepatite C, infelizmente alguns militares foram excluídos por razões de saúde, que se limita única e exclusivamente para te impedirem de fazer o curso.
 
Temos muitos Generais doentes e nunca foram impedidos de estarem no activo ou progredirem de cargo ou patente por razões de doenças como o HIV, Tuberculose, Hipatites ou outra enfermidade.
 
O Curso foi andando na sua normalidade até que a direcção da Escola decidiu solicitar as instâncias superiores sobre a permanência de um grupo de 20 e tal militares que se encontram na Escola a mandi de Generais, Embaixadores e Ministros. Foi assim que os donos das FAA decidiram criar uma outra comissão para vir fazer testes de Hepatite B, patologia que muitos militares tenhem através da má alimentação e condições péssimas das unidades.
 
A comissão chegou e realizou os testes no dia 25 de Fevereiro e infelizmente eliminaram 30 e tal militares conseguindo assim satisfazendo os seus anseios e deixou muitos militares totalmente desesperados por perder 9 meses na Academia Militar de Benguela e 4 Meses no Lubango, muitos de nós perdemos filhos, deixamos nossos projectos adiados, perdemos muito tempo e mesmo com boas notas não foi suficiente para fazer a formação de oficial.
 
Meu irmão por favor nos ajuda a levar estas informação ao conhecimento geral, como militar não podemos fazer nada, somos obrigados a calar através das normas muito rígidas que este coletivo deve respeitar. Há muita irregularidade dentro das FAA, nos colocam nas Unidades longínquas de Cabinda, K. Kubango, Moxico e mesmo assim somos impedidos de sermos promovidos, ali têm muitas vagaturas e mesmo assim as promoções chegam com muito reduzida, os militares dos órgãos de justiça, militares do gabinete do Comandante do Exército, e alguns que os seus chefe mesmo qualificados e já a exercer uma função de oficial suplicou para serem promovidos de Sargento para Oficial.
 
 
Militares Anônimos
 
FMFWorld.Org

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here