Angola: Nem fraude, nem milagre levarão João Lourenço ao poder em 2022

0
338

O descontentamento que alarma a sociedade angolana no seu todo, dispersou – se feito um balde de água fria despejado pelo corpo todo de alguém, os jovens no geral, são os que mais afectados se encontram por tal descalabro de índole social.

O panorama político angolano em 2022 estará dotado de inéditas surpresas, havendo sobras de provas, segundo as quais, JLO irá perder as eleições gerais, embora opta por uma postura indecorosa manifestada por uma gigantesca fraude eleitoral, tal quanto realizou em 2017.

Em 2017 o MPLA não ganhou as eleições gerais, foram as fraudes eleitorais que tornaram JLO no real Dono Disto Tudo, mas em 2022, o diabo à quem tem proclamado em preces momentâneos, sê – lo – à totalmente surdo, e o caminho da derrota abrir – se – à como se abrem as portas do inferno aos ímpios.

As mentiras são hoje a maior coroa do trono de JLO, são mediante esta filosofia da mentira que JLO faz do futuro da juventude num verdadeiro espetáculo jogado no esquecimento absoluto. Desde que Angola terá suscitado enquanto nação, não apareceu um único dirigente que terá tecido tanta mentira em propagandas políticas ao ponto de ridicularizar – se de forma tão odiosa no seio da juventude angolana como JLO.

JLO é o mestre em vender sonhos falsos à juventude, de tanto mentir, chegou de exonerar um jurista morto há perto de três anos. O seu discurso de “Estado da Nação” está minado por inúmeras mentiras. JLO faz das mentiras numa arma preciosa para ludibriar o seu eleitorado, porém, em 2022, queira sim, queira não, Lourenço tem tudo para perder totalmente as eleições gerais de 2022, nem as preces realizadas em nome de satã, nem sequer as tendências fraudulentas o salvarão de uma derrota impiedosa à ser proclamada em 2022.

Há que ter presente variados observadores internacionais, de carácter completamente neutros, oriundos da ONU para acompanhar o processo eleitoral de 2022, evitando – se assim uma possível fraude exacerbada e um possível conflito civil à ser evidenciado após o pleito eleitoral de 2022. Há provas de sobras de que, JLO não irá ganhar as eleições de 2022, nem sequer milagres, nem sequer actos satânicos (como é de hábito nas suas agendas particulares) o salvarão dessa derrota que se avizinha.

A juventude jogada no desprezo absoluto corresponde ao núcleo decisivo das eleições em Angola, correspondendo à 78,9% do total do corpo do eleitorado. Porém, pela ironia do destino, esta franja social tem a responsabilidade condition sine qua non de definir se o País continua num curso desastroso, ou se deve mudar – se as cartas à serem colocadas na mesa, em 2022. Ninguém se engana, são os jovens que são a maior parte do eleitorado e são estes que retirarão JLO do poder em 2022, sejam quais forem as circunstâncias, nenhuma força impedirá a caminhada de JLO em 2022.

A manifestação exprimida pela juventude angolana ao 24 de Outubro trouxe ao de cima a exacerbada frustração que anda atada aos braços da juventude angolana. Mostrando desde logo que, nada parará a juventude angolana, a “entourage” pode veicular todas as formas de fraude eleitoral, mas desta vez não será 2017, estaremos num ano decisivo em que Lourenço será expulso da Presidência da República e mandado à sua terra natal (na RDC).

Os jovens angolanos estão excessivamente aborrecidos da péssima governação imposta por JLO desde 2017, uma governação excessivamente odiosa, plasmada numa justiça severamente selectiva, enquanto se protege Edeltrudes Costa, Álvaro Sobrinho e o maior ladrão de todos os tempos (Manuel Vicente) aos outros se cultiva um espírito de humilhação e total perseguição, ao povo dá – se somente um inferno gratuito. Com o País à padecer muita fome, JLO ordenou um gasto superior à dois biliões para a compra de equipamento militar e material de guerra, contam tanques de guerra, helicópteros, migues, aparato militar excessivamente caro, canhões e muito mais.

Com o povo a passar fome, retirou dos cofres do Estado dois biliões para a compra de acções da Oil da UNITEL. Enquanto que diz que está a fazer um combate cerrado à corrupção, foi achado 20 milhões de dólares nos “Cofres de Estado” de Edeltrudes Costa, porém, JLO apresenta – se completamente surdo, mudo e cego. Garcia Miala faz parte dos negócios de diamantes nas Lundas, enquanto que JLO opera em empresas que dedicam – se na extração de ouro, mármore e madeira, tudo realizado para um enriquecimento ilícito particular. Quer Miala, JLO e Edeltrudes, todos estão ligados por um facto comum: em uníssono defendem – se uns aos outros. Enquanto isso pregam uma falsa doutrina de um combate à corrupção totalmente inexistente.

A péssima governação levada à cabo por JLO de nada dignifica o povo angolano aos nossos dias, apenas tem como oferta a elevada falta de qualidade de vida, o preço excessivo da comida, o agravo progressivo de todos os indicadores sociais.

O que se vê nisto tudo é que não é apenas o País que precisa ser liberto dessa deriva toda, JLO também precisa ser liberto. O País ficou refém de um azar totalmente tenebroso, cujo futuro fez – se num mistério de elevada desconfiança. Era em JLO onde todos os angolanos (sobretudo a juventude) esperavam ver os seus sonhos totalmente resolvidos. Mas a esperança terá sido morta no parto, antes mesmo de ter nascido, JLO falhou em todos os seus programas de bandeira. JLO está totalmente alheio ao drama social que vitima o povo angolano (aos nossos dias), o País ficou órfão de sua própria governação, agravou – se tudo, mas tudo, não soube melhorar absolutamente nada em Angola, todas as promessas resumiram – se numa única palavra: “mentiras”. A nação está algemada pela desgraça, falta – nos tudo em Angola, inclusive o básico.

Diante deste acontecimento, todos os angolanos erguem em uníssono a sua voz, face ao tempo de sofrimento imputado pelo regime dirigido por JLO. Os angolanos têm a ânsia de ver Angola continuamente resolvida, mas esse sonho parece ter morrido solteiro antes mesmo de nascer. Com JLO no comando do leme, os sonhos de uma juventude risonha, jamais efectivar – se – ão, nem sequer estarão nos segredos dos deuses.

Neste âmbito, todos os angolanos, de Cabinda ao Cunene, e do mar ao leste, conjugam o verbo sofrer em todos os tempos até ao gerúndio, desde logo, o único trunfo dos mesmos consta numa agenda radical implicada nas eleições de 2022 onde nem mesmo 30% do eleitorado aceitará votar à JLO. Todos os angolanos, em uníssono, prometem expulsar JLO da Presidência da República em 2022.

 Amadeu Baltazar Rafael

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here