Angola: População faz justiça pelas próprias mãos e mata “três assaltantes” em Benguela

0
209
Três assaltantes foram mortos, nas últimas 24 horas, pela população, nos municípios da Catumbela e Lobito, província de Benguela, facto que preocupa as autoridades, que condenam a justiça por mãos próprias, noticiou esta quarta-feira a imprensa angolana.

De acordo com o porta-voz do comando provincial da Polícia Nacional de Benguela, inspetor-chefe Ernesto Tchiwale, dois jovens, de 18 e 30 anos, foram mortos por populares na madrugada desta quarta-feira, na Catumbela, por terem supostamente assaltado uma residência.

Ernesto Tchiwale, citado pela agência noticiosa angolana Angop, disse que as vítimas foram brutalmente espancadas por moradores da zona que, na sequência, colocaram pneus à volta dos mesmos, gasolina e atearam fogo, acabando os suspeitos por morrer carbonizados.

“Foi um ato cruel e temos vindo a apelar os cidadãos a não fazerem justiça por mãos próprias, pois é igualmente um crime”, disse o porta-voz da polícia em Benguela.

Segundo o oficial, investigações preliminares indicam que as vítimas supostamente pertenciam a um grupo de indivíduos, que há algum tempo tem estado a tirar o sono à comunidade residente na Catumbela, com constantes assaltos e homicídios a mão armada.

O porta-voz da polícia informou que, apesar dos crimes em massa serem difíceis de investigar, estão já em curso diligências para identificar e deter os presumíveis autores deste bárbaro crime, bem como apresentá-los publicamente no sentido de dissuadir a sociedade sobre estas más práticas.

“Este não é o primeiro caso que se regista na Catumbela nos últimos meses, em que populares espancam meliantes até a morte com recursos a pedras, pneus, gasolina, fogo e outros meios contundentes”.

Também a rádio pública angolana divulgou hoje que um homem foi morto no município do Lobito, província de Benguela, por apedrejamento, por supostamente ter subtraído uma botija de gás de uma residência.

“A polícia já não está a trabalhar mais, então, trabalhamos nós jovens. São presos, depois de três dias saem e dizem que a cadeia é o nosso quarto”, criticou um entrevistado à rádio.

Casos de justiça por mãos próprias têm ocorrido, nos últimos tempos, um pouco por províncias do país, incluído a capital de Angola, Luanda, com o aumento da criminalidade.

Na semana passada, quatro supostos assaltantes acabaram mortos, três deles linchados por populares, na sequência da tentativa de um assalto, na zona de Talatona, sul de Luanda.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here