Angola: “Se fosse honesta e isenta, a TPA entrevistava Adalberto Costa Júnior” – Ilídio Manuel

0
216
Ilídio Manuel, analista político e jornalista angolano, considerou que, se de algum modo a Televisão Pública de Angola (TPA), fosse honesta e primasse, sobretudo, pela isenção, estender-ia um convite ao presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior.

Isto, observou Ilídio Manuel, antes faria a Televisão estatal angolana, ao invés de recorrer às bocas de aluguer para produzir a tragicomédia da dupla nacionalidade.

“Tem coragem”?, questionou Ilídio Manuel.

Segundo Lukamba Gato, e, considerando os últimos factos, cujas reacções entre as comunidades têm sido recorrentes, inclusive nas redes sociais, afirmou que está novamente tudo pronto para passar à acção recorrente da diabolização de ACJ, porque a UNITA volta a representar “uma ameaça real e extraordinária” para o partido no poder.

“É absolutamente doentio, alucinógeno e sim, DESPROPORCIONAL, tratar um natural do município de Cinjenje, na província do Huambo, de cidadão estrangeiro”, observou ainda.

O que aqui perturba, relatou, é o facto da UNITA ter eleito um cidadão angolano mestiço para sua liderança, numa altura em que este exercício da inteira responsabilidade dos seus membros, altera uma série de percepções que pesavam sobre a UNITA, no novo contexto de luta.

Vale referir que, os órgãos de comunicação pública, têm sido acusados de se encontrarem subjugados aos interesses políticos “da máfia que desgraçou a vida de milhões de angolanos”, sendo repugnante o tipo de jornalismo prestado principalmente pela televisão pública do país, cujos conteúdos são considerados completamente contraproducente e tóxico.

Recorda-se que, o Grupo Parlamentar da UNITA, remeteu na quinta-feira, 11 de Fevereiro de 2021, no gabinete do Presidente da Assembleia Nacional, a solicitação de uma audição ao Ministro das Telecomunicações, tecnologias de informação e Comunicação social, bem como aos PCAS da TPA e TV Zimbo, em função da postura adoptada por estes órgãos.

O pedido de audição tem respaldo no nr 1 do Artigo 303 do Regimento Interno da Assembleia Nacional e do nº 4 do artigo 17, da Constituição da República de Angola que garantem igualdade de tratamento pela imprensa e oposição democrática, violados pela TPA e TV Zimbo.

Estes órgãos de comunicação, segundo a nota de imprensa da UNITA, entre outros factos, omitiram a posição da do maior partido da oposição angolana, sobre o massacre de Cafunfo apresentada em comunicação do Presidente Adalberto Costa Júnior e em conferências de Imprensa do Grupo Parlamentar.

Trata-se igualmente, da visita dos Deputados à Vila Mineira de Cafunfo, onde estiveram retidos por 3 dias sem uma referência nos órgãos em causa.

Outro facto denunciado é o tratamento dos comunicados dos órgãos de cúpula dos dois partidos sobre o massacre de Cafunfo, tendo a TPA e a TV Zimbo lido na integra o do Bureau Político do MPLA e omitido o do Comité Permanente da UNITA.

Assim sendo, o Grupo Parlamentar da UNITA, pede que as entidades em causa, O Ministro e os gestores da TPA e TV Zimbo sejam ouvidos pelas 6ª e 10ª Comissões de Trabalho Especializadas da Assembleia Nacional, que tratam de matérias ligadas à Comunicação Social e aos Direitos Humanos respectivamente.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here