Assunto: Uma causa justa ignorada por ser pacífico pela comunidade Nacional e Internacional

0
312

À
Organização das Nações Unidas
=ONU=
C/C
-União Africana
-União Europeia
-European Free Alliance – “EFA
-Departamento de Justiça Federal dos Estados Unidos de América Secção “FOREIGN AGENTS REGISTRATION ACT”
-Membro Observador da “UNPO – The Unrepresented Nations and Peoples Organization ”
-SADC
-Portugal
-Inglatera
-Belgica
-França
-Alemanha
-Italia
-PRS
-FNLA
-UNITA
-MPLA

Assunto: Uma causa justa ignorada por ser pacífico pela comunidade Nacional e Internacional

Em primeiro lugar, desejamos-vos um repleto de paz, amor, caridade, simpatia e seriedade a um bom trabalho dedicado as Nações Unidas.

Excelentíssimos representantes da Nações Unidas, o Povo Lunda Tchokwe por meio de Movimento do Protectorado Português da Lunda Tchokwe, luta pacíficamente há 14 anos (2006 – 2020), a nossa prioridade tem sido a busca do “DIÁLOGO” sobre a questão da Lunda, através dos Tratados de Protecrorado celebrado entre Governo de Portugal e os Potentados Mwananganas da Lunda 1885/1894.

Por falta de vontade política e interesse das vidas humanas a Organização das Nações Unidas e a toda Comunidade Nacional e Internacional, estam a defender o regime esquecendo que, na Lunda Tchokwe existem um povo que merece viver não passar pela vida, uma nação que merece ser livre com a sua autodeterminação.

Desde antiguidade até ao momento, nunca ouvimos o pronunciamento por parte das Nações Unidas no que tange a “Questão da Lunda”, será que o mundo está dividido em duas partes, os que merecem viver e os que merecem passar pela vida?

Ó Organização das Nações Unidas, União Africana, União Europeia, USA, European Free Alliance – “EFA, Departamento de Justiça Federal dos Estados Unidos de América Secção “FOREIGN AGENTS REGISTRATION ACT” , Membro Observador da “UNPO – The Unrepresented Nations and Peoples Organization ” , Portugal autor dos Tratados Celebrados com os Potentados Mwananganas da Lunda, Inglatera, Belgica, França, Alemanha, Italia, SADC, o povo Lunda Tchokwe em tudo somos atribulados, perseguidos, abatidos pela uma causa justa que o povo Lunda Tchokwe revindica. Governo Angolano matam-nos, prisionam-nos pela nossa terra e o nosso direito, Lunda Tchokwe é um Estado criado por Deus e organizada pelos nossos antepassados.

Organização das Nações Unidas não te cales, Governo Angolano nos cercam com palavras odiosas e pelejam contra nós sem causa, deram-nos mal pelo bem e ódio pelo nosso amor.

“O povo Lunda Tchokwe clama”, as nossas vidas não são “feudos”, precisamos da nossa autodeterminação.

O povo Lunda Tchokwe, vem pedindo a Organização das Nações Unidas e a todas organizações governamentais e não governamentais, a responsabilizar portugal com o seu desrespeito pela violação unilateral dos Tratados por si celebrados com os Potentados Mwananganas da Lunda, responsabilizem Portugal a declarar a Questão da Lunda publicamente.

“Pacíficos fomos, somos e seremos”, será que a violência é aceite com bons olhos a Comunidade Nacional e Internacional? Pelo visto, a Comunidade Nacional e Internacional só se pronucia quando a uma “Guerra Armada”, Governo Angolano conhece bem o povo Lunda Tchokwe, quando se trata de uma guerra Armada.

Se a Organização das Nações Unidas e todas Organizações Políticas Nacionais e Internacionais não aprovarém a lei da descolonização, a guerra nunca terminará , principalmente na África.

O Governo Angolano do Executivo do MPLA ainda não aprendeu a dialogar, só conhece a línguagem de sangue, de mortes selectivas contra os seus opositores, ou reivindicadores de causas justas.

Estamos informados e atentos na “TENTATIVA DE ASSASSINAR O PRESIDENTE DO PROTECTORADO PORTUGUES DA LUNDA TCHOKWE ZECAMUTCHIMA PELO GOVERNO DO MPLA DE ANGOLA”

Fonte ligada ao grupo Táctico Especializado dos Serviços Secretos do SINSE/SINFO MPLA da Segurança da Presidência da Republica de Angola, de acompanhamento milimétrico dos passos do Presidente do Protectorado Português da Lunda Tchokwe, denunciaram o plano de o abater fisicamente durante a quadra festiva, natalício e de ano novo, o grupo dos referidos assassinos estão alguns dias a vigiar a movimentação do Presidente Zecamutchima, junto a sua residência.

As 22 horas do dia 27 de Dezembro de 2020, o Presidente do Protectorado Português da Lunda Tchokwe, ZECAMUTCHIMA, recebeu uma chamada anónima, com o numero oculto no ecrã do telemóvel com ameaças de morte, “Seu cão rafeiro, você vamos te matar, Savimbi era importante o matamos e quem é você que estas toda a hora a atormentar o Governo para dividir o país, tens dias contados e avisa a sua família para te preparar o caixão”, entre outras ameaças.

Assassinar ZECAMUTCHIMA não é a solução, a revulução na Lunda está no sangue da toda personalidade existente na Lunda. Para ser mais claro e aberto, eliminar físicamente Zecamutchima, não é eliminar a corage e força da luta do Povo Lunda Tchokwe fisicamente, espiritualmente e psicologicamente.

De acordo com fonte e a descrição da denúncia da Casa Militar de Segurança do Presidente da Republica de Angola, temos já identificados os elementos que fazem vigilância aos movimentos do Presidente do Protectorado Português da Lunda Tchokwe José Mateus Zecamutchima em redor de sua residência que se fazem passar de clientes ou de familiares de ROLOTES de vizinhos, indivíduos altamente perigosos de “Esquadrões” da morte criados pelo Governo do MPLA nas suas hostes militaristas do seu Marxismo Leninismo vigente.

Excelentíssimos representantes da Organização das Nações Unidas, a um ditado que diz: “Quem cala consente”,

Noutro lado, pela ambição e egocentrismo do Governo Angolano a não diálogo com o Povo lunda Tchokwe é por falta de capacidade e corage.

No que conserne a nossa questão, apelamos Com base nesta carta as Nações Unidas, União Europeia, European Free Alliance – “EFA, Departamento de Justiça Federal dos Estados Unidos de América Secção “FOREIGN AGENTS REGISTRATION ACT” , Membro Observador da “UNPO – The Unrepresented Nations and Peoples Organization ”, Portugal, Inglatera, Belgica, França, Alemanha, Italia, SADC e ao Governo Angolano, a repensar profundamente sobre a Questão da Lunda.

Atenciosamente repito a frase: “Se na África não existir descolonização a guerra nunca terminará”.

Para terminar, desejamos a Organização das Nações Unidas um feliz ano novo, para que este ano de 2021 seja mais séria no que tange os 30 artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, onde o artigo 3 diz: Todo ser humano tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.

=Reino Lunda Tchokwe não é Angola=

Lunda Tchokwe aos 01 Janeiro de 2021

Aperfeição da Lunda Injustiçado Mwatchimbundju

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here