Denúncia: “Povo Lunda Tchokwe com cruz de Ferro em Direção ao calvário”

0
218
DENÚNCIA: “POVO LUNDA TCHOKWE COM CRUZ DE FERRO EM DIREÇÃO AO CALVÁRIO”_”PRISIONAR ZECAMUTCHIMA, NÃO É CALAR AS VOZES DO POVO”_”HÁ PARA TODAS AS COISAS UM TEMPO DETERMINADO POR DEUS”
 
I.
Na Lunda Tchokwe existem um povo, e um povo que merece viver não passar pela vida, uma nação que merece ser livre com a sua autodeterminação.
 
II.
UNITA, FNLA, PRS, CASA-CE, SOCIEDADE CIVIL ANGOLANA, Ordem dos advogados de Angola, Observatório para Coesão Social e Justiça (OCSJ), entidade religiosa, entidade tradicional, embaixada de Alemanha em Luanda, embaixada de Portugal em Luanda, embaixada de Inglaterra em Luanda, embaixada de França em Luanda, embaixada de Bélgica em Luanda, embaixada de Italia em Luanda entre outras. União Africana, União Europeia, European Free Alliance – “EFA, Departamento de Justiça Federal dos Estados Unidos de América Secção “FOREIGN AGENTS REGISTRATION ACT” , Membro Observador da “UNPO – The Unrepresented Nations and Peoples Organization ”, Tribunal Penal Internacional (TPI). USA, Portugal, Inglatera, Belgica, França, Alemanha e Italia.
 
III.
Antes de tudo, recorendo em Deuteronómio 27:17 diz: Maldito aqueles que arrancar o termo do seu próximo.
 
IV.
Averiguando no livro do Eclesiastes diz que, há para todas as coisas um tempo determinado por DEUS, tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito de baixo do céu.
 
 
Há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou; tempo de matar e tempo de curar, tempo de derribar e tempo de edificar; tempo de chorar e tempo de rir; tempo de pantear e tempo de saltar; tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntar pedras, tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar (come-se veja no covid-19); tempo de buscar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de deitar fora; tempo de rasgar e tempo de coser; tempo de estar calado e tempo de falar; tempo de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz; “”tempo de bajulação e tempo da verdade”
 
V.
“Governo do MPLA, nos cercam com palavras odiosas e pelejam contra nós sem causa, deram-nos o mal pelo bem e ódio pelo nosso amor”.
 
VI.
Noutro lado, pela ambição e egocentrismo do Governo do MPLA a não diálogo com o Povo lunda Tchokwe é por falta de capacidade e corage.
 
VII.
“Sobre o massacre do dia 30 de Janeiro de 2021, que foi convocada pacíficamente e violentada pelo regime do MPLA”
Tudo começou quando No dia 25 de Novembro de 2020, o Movimento do Protectorado Português da Lunda Tchokwe, a nível nacional endereçou uma Carta a Sua Excelência o senhor Presidente da República de Angola, nos termos do nº2 do artigo 47º da CRA, previa comunicação à autoridade competente, de convocação de uma manifestação que teria lugar dia 30 de Janeiro de 2021, sábado, cujo objectivo: “MANIFESTAÇÃO PACIFICA PARA O DIA 30 DE JANEIRO DE 2021, ALUSIVA AOS 127 ANOS DO RECONHECIMENTO INTERNACIONAL DO DIREITO DO REINO LUNDA TCHOKWE E DA NECESSIDADE DE EXIGIR DIÁLOGO AO GOVERNO DE ANGOLA E DA COMUNIDADE INTERNACIONAL PARA O ESTABELECIMENTO DA NOSSA AUTONOMIA/ESCOCIA”
 
“Chegando no dia 30 de Janeiro, quando era as 07h a manifestação teve o início na escola do doutor António A. Neto, os membros do MPLT estavam consigo com panfletos, ao contrário dos agentes do regime estavam com todo tipo de armamentos, que causou várias mortes e feridos, inclusive uma criança.
 
VIII.
Cafunfo está na rota dos novos conflitos, onde a polícia no dia 08 de Janeiro do ano em curso tirou a vida de um Jovem que se chamava Garcias de 24 anos, foi morto na segunda-feira 08/02/2021 pelas 19h, pelos agentes das Forças Armadas Angolanas e um ferido.
 
IX.
No dia 08 de Fevereiro, a SIC de Luanda emitiram uma notificação ao líder do Protectorado Lunda Tchokwe dizendo que era apenas para obter algumas informações sobre o massacre do dia 30 de Janeiro.
 
No dia 09 de Janeiro do ano em curso Zecamutchima, líder do Protectorado Lunda Tchokwe, compareceu na SIC e foi detido na manhã do dia 09.
 
Os advogados não caíram na artimanha da SIC, pois que se quisessem ver presente Zecamutchima tinham que formalizar a sua presença com uma notificação para no mínimo saber-se do número do processo e de que estava a ser acusado.
No dia 09 de Fevereiro a história foi outra. Encontramos UM MANDADO DE DETENÇÃO com a data de 6 de Fevereiro passado pelo Procurador da Lunda Norte.
 
X.
É a partir desta detecção do Zecamutchima Líder do Protectorado Português da Lunda Tchokwe, onde surgiu o título: “POVO LUNDA COM CRUZ DE FERRO EM DIREÇÃO AO CALVÁRIO”_”PRISIONAR ZECAMUTCHIMA, NÃO É CALAR AS VOZES DO POVO”_”HÁ PARA TODAS AS COISAS UM TEMPO DETERMINADO POR DEUS”.
 
XI.
“Veja este pequeno texto publicada pelo Zecamutchima”
 
XII.
Temos de ter a capacidade de sabermos perdoar todos aqueles que nos combatem, porque não sabem o que estão a fazer, durante a colonização portuguesa de Angola e a protecção da Lunda Tchokwe, muitos cidadãos estiveram do lado da colonização contra a sua própria liberdade, mataram, humilharam, condenaram e violentaram seus próprios compatriotas, veio a independência, e o que aconteceu com aqueles na barrigada dos Portugueses?…
 
Os actuais Lundas no poder colonial que nos maltratam, nos prendem e nos condenam, devemos perdoa-los, são pobres de tudo, espiritualmente, vivem mais humilhados, não tem orgulho de si próprios, eles sabem disso!..
 
Para aqueles que nos falam mal, temos de os perdoar, perdidos estam e continuaram a ser.
 
Aos mentirosos, falsos caluniadores, intriguistas, bajuladores de informações temos de os perdoar…em nome do Altíssimo!.
 
Aos Historiadores, Juristas Advogados, Jornalistas e outros intelectuais Lunda Tchokwe, temos de os perdoar!..
 
Aos Bispos, Pastores, Padres, Freiras, Evangelistas, Diagonos e outros eclesiásticos filhos Lundas que nos combatem temos de os perdoar em nome de DEUS!…
 
Aos nossos Sobas ou Autoridades Tradicionais, que o Governo do MPLA usam, afim de coagita contra o Movimento do Protectorado Lunda Tchokwe, temos de os perdoar em nome dos nossos Antepassados!… Fim de sitação das palavras do Zecamutchima.
 
 
Em tudo nós povo Lunda somos atribulados, mas não angustiados; perplexos mas não desanimados; perseguidos mas não desamparados; abatidos mas não destruídos.
 
XIII.
Nós povo Lunda “pacífico fomos, somos e seremos”, apesar de que algumas internautas do Governo do MPLA bajulam as informações na TPA, TV Zimbo, dizendo que somos “rebelião armadas”, nós não somos “REBELIÃO ARMADA”, não aceitamos tal pejorativo.
 
XIV.
Um bom jornalismo deve ter o contraditório; Os Jornalistas públicas de Angola não tenham autonomia. É o Governo do MPLA que emite as informações e depois é dada pelos Jornalistas a fim de publicarem. Aceitar algo, sem ir constatar no terreno é inútil. Dizia o Martinho Luter, o mal não é só daquele que o prático, mais sim, também daquele que veja alguém fazendo o mal e não faz nada.
 
XV.
“Para o nosso Glorioso Comandante-PNA como se acha: Paulo de Almeida”
 
Paulo de Almeida, não tem postura de governar, muito menos de valorizar a vida humana, devemos ter o perfil de trabalhar por nação não pelo partido; de tudo que saiu na boca de Paulo de Almeida sobre massacre em Cafunfo é pelo egocentrismo do poder, abuso de autoridade e falta de saber.
 
XVI.
“Para a sua excelência Sr. Presidente João Manuel Gonçalves Lourenço”
 
Veremos a postura do Sr. Presidente da República de Angola, se é o presidente da nação ou do partido, pelo massacre do dia 30 de Janeiro de 2021 até a data presente e pela detecção do Zecamutchima líder do Protectorado Português da Lunda Tchokwe.
 
XVII.
“Nós povo Lunda”:
  • Não vamos calar, vendo o nosso povo sofrendo de mais.
  • Não vamos calar, enquanto assistimos tantas mortes na LUNDA.
  • Não vamos calar, enquanto vejamos os nossos irmãos fora do sistema de ensino.
  • Não vamos calar, sem que deixamos de assistir os nossos pais em frente das lojas a pedir esmolas.
  • Não vamos calar, sem que deixarmos de beber água suja.
  • Não vamos calar, sem que vejamos as estradas da nossa terra lisa.
  • Não vamos calar, sem que vejamos os medicamentos nos hospitais.
  • Não vamos calar, sem que os nossos pais saem nas casebras de capim do século IX.
  • Não vamos calar, sem que haja a nossa autodeterminação por via da autonomia.
  • Não vamos calar sem, que haja uma justiça sobre massacre do dia 30 de Janeiro de 2021.
  • Não vamos calar, vendo a nossa esperança Zecamutchima detido injustamente pelo regime do Governo do MPLA.
  • Não vamos calar, sem a nossa autodeterminação por via da autonomia.
  • E não vamos calar sem que DEUS nos mande calar.
 
 
Lunda, 16 de Fevereiro de 2021
 
 
“O POTENTADO APERFEIÇÃO DA LUNDA INJUSTIÇADO MWATCHIMBUNDJU”

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here