EUA: Crédito à economia real angolana cresce “17,81%” em março

0
132
Os bancos comerciais angolanos concederam crédito à economia real no valor global de 247, 96 mil milhões de kwanzas (318,3 milhões euros), em março, um acréscimo de 17,81% em relação a fevereiro, anunciou o banco central.

O Banco Nacional de Angola (BNA) diz, em comunicado, que no final de março de 2021 apurou-se um acumulado de 213 projetos aprovados, dos quais 2.160 com recursos desembolsados, ou seja, um crescimento de 38 novos créditos com desembolsos efetivos” em relação a fevereiro.

O total do crédito concedido em março representa um acréscimo de 37,48 mil milhões de kwanzas (48 milhões de euros) (17,81%) em relação ao montante desembolsado em fevereiro.

Segundo o BNA, que assinala o grau de cumprimento do Aviso nº10/20, os projetos por desembolsar, num total de 53, correspondem a 99,81 mil milhões de kwanzas, um aumento de três projetos em relação ao mês anterior.

Para o banco central angolano isso representa um acréscimo de 4,44 mil milhões de kwanzas (5,7 milhões de euros) (4,66%) em termos de valor financeiro.

De acordo ainda com o BNA, no global, até o mês de março de 2021, o setor bancário desembolsou 247,96 mil milhões de kwanzas, correspondente a 139,28% do valor mínimo a conceder até abril de 2021, no âmbito do referido aviso.

O número de bancos que cumpriu o limite mínimo de 2,50% do seu ativo líquido, até final de abril de 2021, aumentou de 13 para 15 em relação ao mês de fevereiro de 2021.

Trata-se dos bancos Atlântico, Caixa Geral Angola (BCGA), Comercial do Huambo (BCH), de Fomento Angola (BFA), Standard Bank Angola (SBA), de Negócios Internacional (BNI), BOCLB, Prestígio (BPG), Valor (BVB), Finibanco (FNB), KEVE, de Investimento Rural (BIR), YETU, VTB e de Micro Finanças (BMF).

Os bancos BNI e YETU “atingiram já o número mínimo de projetos a financiar”, refere.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here