MEA exorta o Presidente da República a parar com as detenções de activistas

0
249

1- Foi com elevada consternação que o MEA tomou conhecimento da repressão policial no dia 24 de Outubro de 2020 aos manifestantes que tentavam apenas exercer um direito constitucionalmente consagrado.

2- O MEA repudia energicamente a forma bárbara e cobarde com que jovens completamente indefesos foram vítima.

3- Este comportamento militarista eivado de um sadismo tem sido recorrente por parte da polícia Nacional num atropelos grosseiro de direitos fundamentais como a vida é integridade física.

4- O MEA exorta a polícia Nacional a ser um órgão Republicano e apartidário completamente ao serviço do povo e não do grupo dominante.

5- O MEA apresenta a sua mais elevada indignação as ocorrências dos 24, 26 e 27 de Outubro no tribunal Dona Ana Joaquina palco de tamanha violência policial aos familiares, e estudantes que solidarizaram com os seus parentes e amigos, esta atitudes de guerrilha eram coisas do passado ou da velha senhora, algo que veio a provar que fomos completamente enganados a respeito desta pseudo aberturas ou da dita liberdade de expressão.

6- Desta brutalidade policial aos manifestantes resultou duas vítimas mortais, todos estudantes, mais de 50 feridos e detenções de 103 pessoas dentre estes o seu presidente FRANCISCO TEIXEIRA.

7- O MEA lamenta a morte dos jovens e insta o Presidente da Pepública de Angola, Ministério dos direitos humanos, Provedoria de Justiça, Aministia Internacional e todas organizações da sociedade civil que lidam com matéria de direitos humanos a se pronunciarem a respeito.

8- O MEA, exorta o presidente da República a parar com as detenções arbitrárias de activistas e exige a respectiva libertação imediata e incondicional jovens inocentes e sim, prender os assaltantes do erário público.

9- A juventude é a maior franja representativa da sociedade e é também a que mais sofre desta desgovernação desastrosa no entanto, tomou a dianteira para que os seus sonhos não sejam frustada.

10- O MEA desaconselha o presidente da República de Angola procurar bod expiatório para justificar a saturação da desgraça a que fomos lançados pelo ausência de políticas públicas para a JUVENTUDE, não precisamos de outras pessoas para nos recordar que não jantamos, não estudamos ou até mesmo não temos emprego para cobrar ao senhor presidente que na sua campanha prometeu e nada fez.

11- O MEA refuta a ideia que o sr. Presidente República pretende passar, que a juventude são ACÉFALOS OU MENTECAPTOS para agir por si mesmo, seria bom não confundir a juventude apartidaria pós esta sempre agiu e vai agir com a sua própria cabeça, não somo marionetas muito menos filhos mandados, embora tenhamos uma educação deficitária tudo por estrategia politica, porém, estamos na era da técnica e tecnologia por isso somos ousados e determidos apesar de estarmos a viver das piores ditaduras mas nem por isso nos vamos calar.

12- O MEA encoraja a juventude Angolana e em particular os estudantes a lutar pelos seus direitos sempre com responsabilidade e repudia todo e qualquer tipo de violência.

13- O MEA apela à calma a juventude e exige a libertação do seu líder FRANCISCO TEIXEIRA e todos activistas detidos no exercício de um direito.

 

Liberdade já!

Liberdade já!

Liberdade!
Luanda, 28 de Outubro de 2020
O secretariado Nacional do Movimento de estudantes Angolanos MEA.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here