“Rapper” angolano Prodígio cria centro para apoiar jovens talentos

0
285
O “Rapper angolano Prodígio quer ajudar outros “prodígios” a realizarem os seus sonhos e criou um centro juvenil, hoje inaugurado em Luanda para ajudar a desenvolver as suas ideias e projetos.

O “rapper angolano Prodígio quer ajudar outros “prodígios” a realizarem os seus sonhos e criou um centro juvenil, hoje inaugurado em Luanda para ajudar a desenvolver as suas ideias e projetos

O espaço Prodigia-te, no bairro Prenda, um dos mais tradicionais de Luanda, onde foi criado Osvaldo Moniz, mais conhecido como “Prodígio”, é um projeto social que vai abrir portas a jovens adolescentes que se distingam em várias áreas, do xadrez à música, identificando talentos  nas comunidades e ajudando  desenvolver as suas competências

“O objetivo é não ser o único, não estar sozinho dentro da sala, partilhar, trazer esperança para essas crianças que estão onde eu comecei”, disse o músico à Lusa, explicando que o centro vai estar direcionado “para os que se portam bem”.

“Isto é para potencializar os que já tem potencial, os que são bons na música e que se portam bem na escola. Não é para meter a linha quem anda torto”, complementou, esperando que o centro seja “um veiculo para chegarem onde quiserem chegar”.

Adolescentes entre os 13 e os 17 anos são os alvos preferenciais do projeto e terão de ser “muito bons”, em informática, música ou xadrez.

Prodígio já iniciou um processo de seleção para avaliar o talento de alguns jovens que vão ser também acompanhados por uma equipa especializada “para perceber como estão em casa”.

“Pode ser o melhor músico do mundo, mas se for rebelde em casa, aqui não é o lugar”, realçou o artista.

No centro, vão ser acompanhados por instrutores e poderão aceder a cursos na área das Tecnologias de Informação, bem como a um estúdio totalmente equipado.

“O objetivo é fazer um álbum todos os anos, sem terem de depender das ‘majors’ [grandes editoras]. O meu caminho foi muito difícil, quem me dera ter tido um “Prodígio” nessa altura”, disse o “rapper” e ex-integrante da banda Força Suprema, sublinhando que esta será “uma ferramenta” para criarem e lançarem músicas sem intermediários.

O centro, instalado num prédio antigo do Prenda, abriu hoje em Luanda, mas a ideia é replica-lo nas províncias, acrescentou.

 

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments