Sem acordo com o Governo, Sindicato Nacional de Professores (SINPROF) de Angola admite “nova greve” no dia 6 com a duração de 10 dias

0
217
As Negociações entre Sindicato Nacional de Professores (SINPROF) de Angola e o Governo angolano não surtiram efeitos e os docentes devem regressar à greve na terça-feira 6, por um período de 10 dias.

Eles tinham observado uma greve 23 a 30 de Novembro.

A equipa negocial do sindicato diz ter saído do encontro desiludido por falta de propostas concretas da entidade empregadora e prometem devolver a palavra neste sábado para a convocação da segunda fase da greve.

Caso a paralisação aconteça, fica comprometida a realização das primeiras provas trimestrais no país.

Guilherme Silva disse que “não houve nada de novo, apenas as promessas de sempre, como sempre acustumaram-nos a prometer e serão os professores a decidir se vão conceder o voto de confiança e a moratória que nos pediram”.

O sindicalista diz não entender a persistência do Executivo em não querer resolver as reclamações dos professores.

“Não estão interessados em melhorar a educação porque os filhos deles não estudam nas escolas públicas, estudam em melhores colégios no país ou fora”, concluiu.

O Sindicato Nacional de Professores (SINPROF) de Angola vem lutando desde 2019, com o Governo angolano para a materialização de reivindicações como redução do Imposto de Rendimento do Trabalho (IRT) sobre o salário, a actualização do estatuto remuneratório dos agentes da educação, pagamento do subsídio de isolamento e merenda escolar para os estudantes, entre outros problemas.

 

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments