Angola: A propósito dos respeitos que se pretendem impor

0
179

PONTO PRÉVIO: Como sempre o disse, nunca será demais referir que João Manuel Gonçalves Lourenço é um impostor, um criminoso, nos termos do Artigo 4-° da Constituição da República de Angola.

Recordo que João Lourenço chegou ao poder através de fraudes e de outras formas não previstas nem conformes com a CRA nem com a Lei Orgânica sobre as Eleições Gerais, portanto, tem estado a exercer o poder político de forma ilegítima.

1- Nos últimos dias, tenho acompanhado, sobretudo, nas Redes Sociais, o despontar de uma campanha que apela ao respeito pelo Presidente do MPLA e também da República.

a)- Como é possível pedir que se respeite alguém que não respeitou a vontade soberana dos angolanos, expressa nas urnas e usurpou o poder político?

b)- Como é possível respeitar um sujeito que nutre o mais profundo desprezo pela vida e pela dignidade da pessoa humana, a ponto de mandar assassinar cidadãos indefesos, em flagrante e ostensiva violação da Constituição da República de Angola, que o mesmo, na sua tomada de posse ao cargo de Presidente da República, solenemente, jurou por sua honra cumprir e fazer cumprir?

c)- Como respeitar um homem que se serve do dinheiro e dos meios do Estado para “comprar consciências”, recorrendo até à ameaças para quem não se ponha à jeito, com vista a engrossar a sua imoral estratégia de desastabilizar partidos concorrentes e demonizar adversários políticos?

d)- Como respeitar um ditador grosseiro que agride , abusa e desrespeita direitos, liberdades e garantias constitucionais dos cidadãos?

e)- Como respeitar um ingrato compulsivo que jogou às profundezas do ostracismo o seu próprio mentor que TUDO lhe deu, até o poder(!)?

2- No mês de Junho, quando fiz um protesto, sob a forma de greve de fome, desafiei o PR a tomar uma posição clara sobre os assassinatos levados a cabo pelas ditas forças de defesa e segurança, mas JLo que não é surdo, como ele próprio fez questão de nos fazer saber, em gesto de assunção total da responsabilidade por tais mortes e, também, de aprovação “do bom serviço”, mantém o seu bom amigo, o carniceiro Eugénio Labirinto no cargo de Ministro do Interior, assim como mantém no posto de Comandante Geral da Polícia Nacional o carrasco Paulo de Almeida.

3- Lamentavelmente, continuamos a registar mortes de pacatos cidadãos, mais uns aqui, mais outros acolá; mataram o Dr. Sílvio Dala… Recentemente, em pleno dia da Independência Nacional assassinaram o jovem Inocêncio Alberto de Matos, de apenas 26 anos de idade, estudante do 3-° Ano de Ciências da Computação, e a saga vai continuar…

Enquanto isso, sedentos e famintos, JLo e seus comensais vão degustando o sangue e a carne de angolanos indefesos que vai jorrando à medida que vão tombando sob as balas covardes de uma Polícia alienada, inteiramente ao serviço da insaciável alcateia.

Pedir-me respeito por um homem dessa espécie equivaleria a renunciar da minha condição e dignidade próprias de um ser humano.

Por favor, não contem comigo nessa nojenta campanha.

Se JLo quiser mesmo ser respeitado, no mínimo, deve respeitar o seu próprio juramento de cumprir e fazer cumprir a Constituição da República de Angola.

Alcibiades Kopumi

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here