Angola: E se Jesus Cristo não voltar?

0
324
E se Jesus Cristo não voltar? És a questão! Essa é uma pergunta que me fora feita em tempos idos de forma jocosa por um companheiro de lutas. Jesus Cristo vai voltar, certamente que vai, mas a pergunta é e se Ele não voltar?

Consultada alguma literatura apercebemo-nos de que todas as perguntas têm as suas respostas, mas nem todas as respostas respondem às perguntas.

Esta pergunta, na altura e até mesmo agora, abalou a fé de muitos que puseram-se a “vomitar” e a recitar os versículos bíblicos que sustentam a vinda do nosso Senhor Jesus Cristo, a Bíblia Sagrada diz… ok mas pergunta é e se Ele não voltar?

Naquela altura em que a mesma foi feita, sem esperar resposta continuou aquele companheiro dizendo: vocês que andam todos santos, com a Bíblia nas mãos, deixando de fazer muitas coisas, a espera de Jesus Cristo, se ele não voltar estãos “paiados”…

Nestes dias, lançada a mesma já para um público indeterminado, notei que continua a abalar a fé de muitos que entraram em desesperos, bem como choveram muitas respostas a destacar: “Ele já está entre nós”; “Só que Ele vai voltar. Nunca falhou”; “Cristo vive em nós, Ele é a esperança da glória, Ele é fiel nas suas promessas virá em busca da sua amada igreja”; “Essa teoria afigura-se na racionalidade ontológica do processo escatológico da economia da salvação divina como uma improbabilidade real”(confesso-vos que, essa, até agora não entendi); “Não há dúvidas, Ele voltará com certeza… Quem faz essa pergunta é um incrédulo”.

Rebatendo a última resposta, será mesmo que quem faz esse tipo questão é um incrédulo? Não sei, reconheço que esta não é uma pergunta qualquer, daí que também já foi dito acima que nem toda a resposta respondem a pergunta. Penso que esta última resposta enquadra-se nas razões que a razão acha que não têm razão de ser.

Acima ficaram respostas afirmativas de que Jesus Cristo voltará e isso, como se diz na gíria,”todas mães já sabem”, a forma negativa do (subconjuntivo) “se não voltar” é que não foi respondida e penso que a resposta para a mesma é subjectiva por não estar disposta em tese alguma de carácter geral e universal pelo que cada um sabe o que será na eventualidade de não voltar.

Mas espera aí! Será que vocês querem saber o que eu penso se Ele não voltar? Nem tanto…, ah! Ok. Pensei que quisestes saber porque senão ter-vos-ia dito normalmente sem problema algum.

O desafio é de sermos capazes de não nos abalarmos com seja qual for a pergunta ou tese que nos apresentem, assim sendo, a título de ensaio trago-vos algumas revelações ditas por Esfinge, uma personagem criada pelo jurista angolano João Ramiro dos Santos no seu livro intitulado “Não Leia Este Livro, a Partícula do Conhecimento Perdido”, então sem mais delongas vamos a ela.

“A proibição do conhecimento foi uma das razões que lhe levou a conhecer o proíbido.” (lembrem-se da proibição de comer a dita maçã no que resultou?) o parenteses é nosso.

“A primeira esposa de Adão, foi a bela e ousada Lilith”. (vocês sabiam disso? Que afinal não foi a Eva, a primeira esposa de Adão).

“A esposa de Deus, chama-se Sofia. O mundo não seria possível sem a bipolaridade. Todas as coisas e seres têm dois lados. Deus disse “façamos o homem segundo a nossa imagem e semelhança, a que se referia?” (afinal Deus fez o homem segundo a imagem dele e a mulher segundo a imagem de sua esposa Sofia).

“A dominação da mulher pelo homem parte do próprio Deus, Este nunca permitiu que Sofia fosse conhecida”. (outra maka mais…).

“O Espírito de Deus andava sobre as águas, antes de criar o mundo, segundo génesis 1:2. Ora, no meu entendimento isso pode querer dizer que não foi Deus quem criou as águas, pois estas já existiam antes da criação do mundo? Deus não criou as águas, sim as separou, e a expansão das águas passou a ser chamada por céu.”

“O homem não foi feito para viver para sempre, desde a sua criação, a vida sempre foi irmã gémea da morte. Deus nunca quis que o homem vivesse para sempre e nunca foi sua intenção que assim fosse.”

“O paraíso não é um local em que o corpo pode estar, mas sim um estado em que o espírito se pode encontrar. Significa que a ligação do homem com a sua natureza divina, e viver para sempre no paraíso, ter a vida eterna, a vida no além, significa que aqueles que conseguem e conseguirem ascender à sua verdadeira natureza divina sempre viverão entre os homens”.

“O inferno é quando o homem está sem comunhão com a sua natureza divina. Inferno é o estado em que o homem se vê como um diabo, e o paraíso é o contrário.”

“Saiba que nem sempre a Bíblia foi Bíblia. A arrumação e autenticidade da Bíblia Sagrada foram fortemente motivadas por razões políticas, religiosas, culturais, e não só”. (aqui realça-se a supressão dos escritos considerados apócrifos).

“Igrejas são cada vez mais transformadas em empresas multinacionais, procurando novos mercados mundiais, para aí vender as suas mercadorias da fé. Espalham a fé para juntarem dinheiro. Palavras de Deus, nas bocas do diabo.” (caso das igrejas brasileiras em Angola).

Ora, são tantas as revelações que o livro acima nos traz pelo que fico por apenas essas com a recomendação de que podeis consultar as outras, mas as coisas aí ditas não podem abalar a nossa fé nunca e para terminar digo a vocês se desejam ver Deus, adore Deus. E como já não há pergunta nem há respostááá… tirosa.

Marcolino Manuel Baptista, jurista, Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito, da Universidade Católica de Angola (UCAN), na especialidade Jurídico-forense e Jurídico-económico. Actualmente é oficial subalterno do quadro permanente das FAA, exercendo a função de Fiscal para a Prevenção Criminal da Procuradoria Militar da 5ª Divisão Região Militar Sul (Menongue/Cuando Cubango).

 

Marcolino Baptista

FreeMind FreeWorld.Org

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here