É UM TABÚ FALAR DO PROCESSO POLITICO LUNDA TCHOKWE EM PORTUGAL E EM ANGOLA ATÉ A MIDIA DOS DOIS PAÍSES INCLUINDO SITES DE INTERNET

0
191
É UM TABÚ FALAR DO PROCESSO POLITICO LUNDA TCHOKWE EM PORTUGAL E EM ANGOLA ATÉ A MIDIA DOS DOIS PAÍSES INCLUINDO SITES DE INTERNET
 
LISBOA, 20/01 – É tabu falar do processo político Lunda Tchokwe liderado pelo Movimento do Protectorado em Portugal e em Angola, até a midia dos dois países, incluindo sites de Internet. Será isto uma coincidência ou uma máfia que a todo custo querem silenciar e enterrar para sempre a historia recente do povo Lunda Tchokwe, e o direito que lhe assiste no contesto dos grandes países do mundo.
 
Estou na Europa há 45 anos, praticamente não vou para Africa há 15 anos, só estive em Luanda, não cheguei de ir na Lunda, as informações que nos chegam das realidades do nosso país não são muito diversificadas porque outras fontes não têm acesso a informação. A TPA incluindo os canais Portugueses são um dos únicos meios de termos informações de Angola, só que estes omitem muitas verdades, principalmente quando se trata de questões politicas de Partidos ou de reivindicações territoriais como é o actual caso da Lunda Tchokwe e de Cabinda.
 
Fala-se muito de Cabo Verde e pouco de Angola ou Moçambique, mas lá esta, se for questões de miséria e guerras, a midia Portuguesa fala em muito bom-tom.
 
Em Portugal, por exemplo, dificilmente a RTP, a TVI, RTP Africa, a LUSA ou sites de Internet se referem a questão da Lunda Tchokwe, muito menos vemos isto em sites de Internet de Angola em sua maioria, aqui incluindo o Folha8 que é o meu site preferido entre Club-K, Angola24 Horas e actualmente o Correio da Kianda, porque amigos em Luanda me haviam recomendado estes sites, fiquei colado nelas, será que os dois Governos de Portugal e de Angola proibiram os mesmos de falar da questão da Lunda Tchokwe ou este caso não interessa para opinião publica?
 
Fala se muito do Sara Ocidental, de Cabinda e da Palestina, é porque fazem guerra e a Lunda Tchokwe como não faz guerra, então não existe interesse do caso, isto refiro-me no contexto geral, tanto de Portugal, Angola e da Comunidade Internacional.
Será que os dois governos; Portugal com a sua democracia até nas midia e Angola sem tal pujança, será que financiaram também a midia internacional de relevo para não falar do processo politico da reivindicação Lunda Tchokwe, casos concretos da Rádio BBC, RFI, DW, TSF ou mesmo a Voz de América e as de Portugal incluindo os sites de internet?
 
Nas redes sociais, sobretudo Facebook, fala-se muito da questão da Lunda Tchokwe, actualmente o Movimento do Protectorado e outros internautas ligados a este, estão a postar muitas informações de activistas detidos em cuja manifestação seria o dia 30 de Janeiro do corrente ano, será estas postagens são verdadeiras ou falsas e se o são porque o Governo Angolano não desmente? Porque é que a comunicação social de Portugal e Angola não fala deste assunto? Qual é o tabu destas instituições falarem do assunto publicamente?
 
Nasci e cresci na Lunda, na cidade de Henrique de Carvalho, hoje Saurimo, embora os meus país não são da Lunda e a muito saíram de lá, meu pai é falecido e a minha mãe, meus irmão estamos todos aqui na Europa, meus amigos de infância e muitos até hoje estão ligados comigo e sinto que sou parte daquele povo, e me preocupo com o que vai acontecendo naquelas terras,
 
Angola e a RDC, são dois grandes países Africanos com muita riqueza no seu subsolo, mas o povo vive de miséria, as suas economias não funcionam por falta de uma visão estratégica ao seu desenvolvimento, que deveria partir em aceitar dialogar com a Lunda Tchokwe a sua autonomia isto fará com que se crie um pólo de desenvolvimento integral de Angola, o mesmo deveria acontecer com Cabinda, com isto Angola poderia ser uma das primeiras economia de Africa, vencendo a Nigéria, Africa do Sul, Egipto e os emergentes como Marrocos e outras economia que estão mais acima.
 
Angola não estaria a pedir esmolas ao FMI, a se curvar da China, dos Estados Unidos de América e do Ocidente. Negociar bem com os Lunda a sua Autonomia, tal igual Cabinda, os Angolanos terão um país e uma economia forte e maravilhosa. Quando os compromissos são bem estruturados, consentidos pelas partes, os acordos bem discutidos como Brexit entre a União Europeia e o Reino Unido, teríamos Estados Unidos de Angola em Africa com uma economia invejável aos olhos do ocidente.
 
Como o ocidente, a Rússia e a China, não querem ver em Africa países fortes, a ultima coisa que fazem é aconselhar os seus lideres colocando nas suas cabeça, que qualquer reivindicação, mesmo que ela é legitima, para eles, é separação, são terroristas, vão vos dividir, oferecem armas sofisticadas, matam-se, depois vos tornam dependente deles.
 
Angola tem essa experiência do ocidente e do leste durante a sua guerra civil entre o MPLA e a UNITA. Será que até hoje não aprenderam nada com as lições do passado?
 
Aposto que o ocidente e o leste não vão permitir durante muitos anos que Angola dialogue com a Lunda Tchokwe para estabelecer a sua Autonomia e Cabinda, por causa dos interesses económicos em jogo, e para não acelerar o desenvolvimento de Angola, mantendo o país dependente como agora, leia o livro da Ana Mónica Fonseca, versão digital com o titulo “A FORÇA DAS ARMAS: O Apoio da Republica Federal da Alemanha ao Estado Novo (1958-1968)”, da colecção Biblioteca Diplomática, do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal. “Futuro envolvimento dos Estados Unidos e da União Soviética na questão angolana” – Ofício do Consulado da República Federal da Alemanha em Luanda, 8 de Março de 1962 – PA-AA, B 26, 191A.
 
Demonstração de que só o ocidente é quem define o pensamento Politico dos dirigentes em Africa.
 
Angola faça o que eu digo e quero, não o que eu faço!
 
O Presidente João Lourenço não deveria perder a oportunidade de selar com uma pagina de ouro seu mandado negociando com a Lunda Tchokwe e Cabinda, porque é que a Rússia chama-se Federação Russa, ide também a Alemanha e o Reino unido, um dos único bem posicionado no mundo nesta matéria.
 
Quem decide pelas questões africanas é o ocidente através da NATO, União Europeia e o era no passado com o chamado Pacto de Varsóvia que tinha a URSS o epicentro.
 
Porque é que a Economia da Alemanha é a mais forte de Europa, porque é que Reino Unido é uma economia coesa, a Espanha, a Itália sem esquecer a França e o próprio Estados Unidos, China e Rússia?
 
Durante os últimos 55 anos (1920-1975) da presença de Portugal em Angola, Lisboa sempre escamoteio os tratados de protectorado que assinou na Lunda Tchokwe entre 1885 – 1894, incorporou a Lunda a Angola de forma silenciosa e encanou a comunidade internacional sobre a questão, dai o medo de abordar o processo publicamente, para além da chantagem do Governo de Luanda a autoridade do Palácio de Belém, segundo um amigo politico português conhecedor do assunto africano.
Outro tabu de falar do processo da Lunda Tchokwe, advém dos próprios filhos daquela terra. Será que na Lunda não tem Jornalistas, Advogados e outras entidades capazes de dar sua voz e cara publicamente, tal como o faz as gentes do Movimento do Protectorado?
 
Meu conselho para os nossos irmãos da Lunda Tchokwe no interior do país como aqueles que estamos na diáspora, temos de nos unir ao Movimento do Protectorado como uma única força, temos de deixar de criar vários grupos para defender a mesma causa, estamos a dar mais força ao ocidente que irá continuar a manipular os dirigentes angolanos, porque quanto mais confusão é melhor para o ocidente e os regimes governantes em Africa.
 
Nos países do ocidente, os Partidos Políticos, abordam todas as questões, mesmo aquelas consideradas sensíveis, porque é que o MPLA, a UNITA, a FNLA, CASA-CE, BD, PRS e outros não falam publicamente a questão da Lunda Tchokwe?
 
Porque é que os Deputados da Assembleia de Angola, sobretudo aqueles vindos da Lunda Tchokwe não debatem este tipo de problemas? Qual é o tabu? De que forma eles representam os seus eleitorados que os elegeram? Como é que estes Deputados interpretam os sentimentos do povo que dizem defender na Assembleia Nacional de Angola?
 
É porque existe um “PACTO DE CUMPLICIDADE” forte entre o governo e todas as instituições Angolanas, incluindo Portugal, a Comunidade Internacional e alguns sectores duvidosos de Lundas sobre a questão da Lunda Tchokwe que um dia os actuais autores e historiadores irão desvendar
 
Outro elemento para acrescentar a este pobre texto, será que em Angola os bispos e cardeais e outras igrejas estão proibidos de falar da questão da Lunda Tchokwe pelo governo, sob pena de ver as portas das sua igreja fechada?
 
Garanto, quando acompanho a questão do processo politico da Lunda Tchokwe, só conheço o senhor José Mateus Zecamuxima que é o Presidente do Movimento do Protectorado, me parece a única pessoa interessada na questão, porque um amigo Português que esteve a trabalhar numa mina em Lucapa, disse-me que os Tchokwe são muito medrosos, intriguistas e quase falsos e que cada um quer chamar a si o que lhe interessa, a maioria corre atrás dos membros do Governo bajulando para receber algum benefícios em detrimento da miséria da população, acho que este procedimento é muito mau.
 
Sai muito cedo na Lunda em 1975, quanto tinha meus 11 anos, hoje já nos meus 56 anos, pouca coisa tenho em mente, sobretudo o comportamento das pessoas nestes 45 anos da independência de Angola.
 
Para Portugal, Angola e a Comunicação Social, emissoras de Rádios, de TV, Jornalismo Escrito e os Sites de Internet dos dois países, o mundo moderno e democrático não funciona abordando questões publicas com tabu, informem com verdade a sociedade, ela saberá distinguir e separar o trigo do joio, queremos saber quem fala com verdade.
 
Na minha próxima postagem, irei falar da corrupção defendida em Angola pelo Presidente João Lourenço, para mim ele esta de parabéns, não temos informações profundas, pela mesma causa do tabu de abordar estas questões sensíveis em Angola como em Portugal por governos e pela midia.
 
Portugal e Angola estarão preparados e terão capacidade política, intelectual, diplomática e económica para debater a questão da Lunda Tchokwe publicamente a curto prazo?..
 
Por: Andrade Luz Divina da Lunda, na Europa!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here