Procuradoria-Geral da República (PGR) de Angola confirma mandado de “captura internacional” contra Isabel dos Santos

A Procuradoria-Geral da República (PGR) de Angola confirmou, esta segunda-feira, ter emitido um mandado de captura internacional  contra  a empresária Isabel dos Santos, junto da Interpol.

Esta informação foi prestada, à imprensa, pelo procurador-geral da República,  Hélder Pitta Gróz, à margem do Conselho de Direcção da Procuradoria-Geral da República (PGR) de Angola, que decorre em Luanda.

De acordo com o magistrado, há um processo crime em curso desde 2018 contra Isabel dos Santos, tendo havido uma tentativa da Procuradoria-Geral da República (PGR) de Angola para notificá-la na sua residência no condomínio do Morro Bento, em Luanda.

Segundo o magistrado, a empresária se negou a assinar a notificação, tendo abandonado o país a posterior.

Referiu que, na sequência, foram feitas várias notificações entregues no escritório de advogados encarregue da defesa de Isabel dos Santos.

Hélder Pitta Gróz disse que as notificações também foram entregues nas empresas com as quais a empresária tinha ligação, nomeadamente na Unitel e ZAP.

“Em Abril do ano em curso quando a PGR tomou conhecimento da sua estadia na Holanda emitiu uma carta rogatória, a fim da mesma ser ouvida naquele país europeu, tendo mais uma vez rejeitado assinar a notificação e muito menos ser interrogada”, disse.

Segundo o procurador-geral da República, estes factos levaram a instituição a emitir um mandado de captura internacional  junto da Interpol, por desconhecer o seu actual  paradeiro.

Referiu que em Angola há uma representação da Interpol, cabendo agora a esta instituição os passos subsequentes.

Sobre Isabel dos Santos pesa a acusação de ter prejudicado o Estado angolano em mais de 200 milhões de euros.

A 30 de Dezembro de 2019, o Tribunal Provincial de Luanda decretou o arresto preventivo de contas bancárias pessoais de Isabel dos Santos.

Entretanto, várias operações da empresária estão a ser investigadas em Portugal. A 11 de Janeiro de 2020 o  Executivo   angolano  anunciou que está a preparar a batalha judicial para o confisco dos bens de Isabel dos Santos em Portugal.

Essa acção está já em prática na forma de uma carta rogatória enviada a Portugal, que impediu a transferência de fundos do Banco Comercial Português (BCP) para um banco na Rússia.

 

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
7 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
trackback

[…] Isabel dos Santos, a primeira mulher bilionária de África, cujo pai José Eduardo dos Santos governou Angola durante 38 anos até 2017 – enfrenta acusações de corrupção em Angola há anos. […]

trackback

[…] dos Santos, sobre quem impende um alerta vermelho (“red notice”) emitido pela Interpol a pedido de Angola, vive fora do seu país há vários anos, o mesmo acontecendo com Manuel Vicente, sendo ambos […]

trackback

[…] casa avaliada em cerca de 26,5 milhões de dólares em St. Mary’s Place.“A UNITEL alega que Isabel dos Santos deve à companhia milhões de dólares de empréstimos feitos à companhia holandesa Unitel […]

trackback

[…] decisão, o juiz afirma que é “altamente desejável que Isabel dos Santos seja obrigada a declarar os seus ativos, em circunstâncias em que a Unitel não sabe quais, se […]

trackback

[…] propriedade que Isabel dos Santos terá que detalhar é uma vivenda num dos bairros mais luxuosos de Londres, Kensigton, que há […]

trackback

[…] Rússia, seja no Brasil, tem que haver uma acusação. Não há acusação nenhuma em relação a Isabel dos Santos. O Ministério Público, o procurador-geral, não fez uma acusação formal. Portanto, temos aqui […]

trackback

[…] do poder em Angola pelo MPLA e João Lourenço sabe disso”, acrescentou.Quanto ao facto de Isabel dos Santos estar ausente de Angola isto por si só não poderá constituir obstáculo para justiça explica o […]