Angola: Vidatel de Isabel dos Santos representada por “administrador judicial” na assembleia da Unitel

0
157
A Vidatel, da empresária Isabel dos Santos, vai ser representada na próxima assembleia-geral da operadora de telecomunicações Unitel, marcada para 26 de maio, por um administrador judicial nomeado pelo Tribunal Supremo das Ilhas Virgens Britânicas.

Segundo uma fonte contactada pela Lusa, a representação da acionista Vidatel pelo administrador judicial decorre da decisão judicial tornada pública em dezembro do ano passado.

 A empresária angolana, que detinha 25% da Unitel, através da Vidatel, perdeu o controlo da empresa, através de uma decisão do Tribunal Supremo das Ilhas Virgens Britânicas tornada pública pela PT Ventures, que foi vendida à petrolífera estatal Sonangol que passou a deter a maioria acionista na operadora (50%)

De acordo com um comunicado divulgado na altura pela PT Ventures, o tribunal decidiu constituir administradores judiciais para a gestão de ativos específicos da Vidatel, Limited, empresa de Isabel dos Santos registada nas Ilhas Virgens, passando para a gestão destes todas as contas bancárias detidas e/ou controladas pela Vidatel.

Os administradores passaram também a controlar a participação de 25%, incluindo os direitos inerentes a essa participação, nomeadamente direitos de voto e de representação da Vidatel nas assembleias-gerais de acionistas da Unitel e o direito da Vidatel a receber dividendos passados e futuros (incluindo juros sobre os mesmos) da Unitel.

Na próxima assembleia-geral da Unitel — a primeira sem Isabel dos Santos-, os acionistas irão deliberar sobre oito pontos, segundo a convocatória publicada hoje no Jornal de Angola.

A agenda de trabalhos inclui deliberações sobre o relatório e contas do exercício de 2020 e proposta de aplicação dos resultados, apreciação do desempenho da sociedade, e proposta de atribuição de prémios aos membros do conselho de administração.

Informações sobre a participação no BFA e sobre o saldo de dividendos acionistas nas contas da Unitel e deliberação sobre a decisão do Tribunal Provincial de Luanda relativa a anulações das deliberações da assembleia-geral de 15 de dezembro de 2014 também constam da agenda.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here