COVID-19: África do Sul quer “parcerias sustentáveis” com a comunidade portuguesa

0
171
Governo da África do Sul considera fazer acordos com os consulados em áreas de cooperação que possam beneficiar o Fórum Português nomeadamente nas áreas de empreendedorismo jovem e empresariado local.

O governo da província sul-africana de Gauteng, motor da economia mais industrializada do continente, anunciou que vai criar parcerias “sustentáveis de futuro” com empresas da comunidade portuguesa em vários setores da economia.

A ministra de Desenvolvimento Social de Gauteng, Morakane Mosupyoe, que esta quarta-feira recebeu 21 toneladas de alimentos da organização não-governamental Fórum Português na África do Sul, avançou à Lusa que o governo provincial está a considerar várias “possibilidades”, nomeadamente em setores como o empreendedorismo jovem e o empresariado local, que possam beneficiar também a comunidade portuguesa na África do Sul.

“As parcerias devem ser recíprocas, não podemos estar sempre a receber, temos que olhar para outras possibilidades a nível provincial, e estamos a considerar acordos com os consulados em áreas de cooperação que possam beneficiar o Fórum Português”, declarou a governante, salientando ser “adepta da gastronomia portuguesa”.

Nesse sentido, a ministra sul-africana destacou também como “área de interesse importante” o desenvolvimento da produção local de empresas luso-sul-africanas.

Nesse âmbito deveríamos também analisar a possibilidade de adquirir produtos e serviços dessas empresas, por forma a ajudar a melhorar também os negócios locais que, por seu lado, criariam empregos”, salientou.

“Tudo isto é possível e há muitas áreas em que podemos trabalhar juntos”, frisou.

A assistência alimentar de emergência prestada pela comunidade portuguesa na África do Sul, desde o início do confinamento de contenção da pandemia de Covid-19, ajudou a aliviar a insegurança alimentar na província de Gauteng, a mais afetada pelo novo coronavírus, onde pelo menos quatro milhões de pessoas se encontram diariamente em situação de “grave insegurança alimentar”, disse ainda à Lusa a ministra sul-africana do Desenvolvimento Social da província.

Nesse sentido, o governo provincial de Gauteng montou cinco centros sociais de recolha e distribuição direta de alimentos às famílias mais carenciadas na província com mais população do país com cerca de 15,5 milhões de habitantes.

Desde o início da pandemia de Covid-19 em março, as autoridades sul-africanas distribuíram pelo menos 650.000 parcelas de alimentos, em Gauteng, disse fonte do governo provincial.

“A parceria com o Fórum Português é muito importante para nós, vamos assegurar a sua continuidade sólida, por forma a garantir que possamos trabalhar para além da assistência alimentar”, vincou a ministra sul-africana.

A comunidade portuguesa na África do Sul entregou esta quarta-feira 21 toneladas de alimentos ao Governo sul-africano para ajudar no combate à fome na província de Gauteng.

A iniciativa solidária foi organizada pelo Fórum Português na África do Sul, que tem facilitado a distribuição de ajuda alimentar a centenas de pessoas desde o início do confinamento de contenção da Covid-19 em 27 de março.

O dirigente associativo lusodescendente, Manny Ferreirinha, explicou que as 21 toneladas fazem parte de uma iniciativa solidária que recolheu, nos últimos seis meses, um total de 700 toneladas de alimentos, tendo sido entregues 400 toneladas ao governo provincial, em Gauteng, e as restantes toneladas pela comunidade portuguesa na África do Sul.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here