Movimento de Estudantes Angolanos (MEA) lamenta que Angola não cumpre “protocolos internacionais de educação”

O Movimento de Estudantes Angolanos (MEA) lamentou hoje que Angola não cumpra os protocolos internacionais de educação e deixe sem acesso à educação entre sete a oito milhões de crianças por ano.

Num comunicado divulgado a propósito do Dia Internacional da Educação, o Movimento de Estudantes Angolanos (MEA) assinala a data “com enorme tristeza e insatisfação”, salientando que, “infelizmente, Angola descumpre com os protocolos internacionais sobre educação, deixando para trás, todos os anos mais de sete a oito milhões de crianças e jovens sem acesso a educação”.

E condenou “energicamente a irresponsabilidade do Estado angolano no capítulo da educação”, apontando 19 mil salas de aulas debaixo de árvores, escolas onde falta giz, sem água, sem quadros.

“Não podemos aceitar que em pleno século XXI, o país continue a produzir analfabetos, crianças e adolescentes de 14/15 anos que nunca se sentaram numa sala de aulas, não sabem ler nem escrever, não podemos olhar isso de ânimo leve”, sublinhou o Movimento de Estudantes Angolanos (MEA).

O Movimento de Estudantes Angolanos (MEA) lamentou ainda “o silêncio conivente da UNESCO [Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura] que deveria ser o guardião dos estudantes perante a falta de quase tudo nas escolas públicas”, mas que não faz “absolutamente nada, para pressionar o seu parceiro a mudar de comportamento”.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments